Notícias

As dezenas de Mesquitas turcas que viraram Igrejas na Europa

Mestre em arquitetura diz que 329 edifícios religiosos otomanos foram transformados em igrejas e campanários pela Europa.

Istambul,

Pesquisando e viajando pelas terras que constituíam o Império Otomano, o mestre em arquitetura localizou edifícios turcos em 18 países e encontrou pelo menos 329 deles transformados em igrejas ou torres de sino.

Em entrevista à Agência Anadolu, Mehmet Emin Yilmaz disse que rastreou as obras de arquitetura turcas por 10 anos e identificou as mesquitas, mosteiros e santuários islâmicos que foram transformados em torres sineiras.

Começando nos Bálcãs inicialmente, Yilmaz disse: “Eu me concentrei primeiro na Hungria, Bulgária e Grécia. Porque a maioria dos edifícios convertidos em igrejas fica nesses três países”.

Mesquita Mehmed Pasha, construída pelo famoso arquiteto otomano Mimar Sinan em Sofia, atualmente convertida em igreja.

“Mais tarde, identifiquei 329 edifícios arquitetônicos turcos, como mesquitas grandes e pequenas, mosteiros islâmicos e santuários que foram convertidos em igrejas em vários momentos em um total de 18 países, incluindo Argélia, Ucrânia, Crimeia, Geórgia, Armênia, Bósnia e Herzegovina, Chipre, Croácia, Kosovo, Macedônia, Moldávia, Romênia, Sérvia e Turquia “, acrescentou.

Dando uma checada no país, ele disse: “Um total de 117 mesquitas, sete mosteiros e santuários islâmicos e uma madrasah (escola islâmica) foram convertidas em igrejas e três torres de relógio em campanários na Bulgária; na Croácia, oito mesquitas e um histórico minarete foram transformados em igrejas; na Crimeia, seis mesquitas e um santuário; no Kosovo, uma mesquita em igreja e uma torre de relógio islâmica em uma torre sineira.”

“Na Ucrânia, duas mesquitas foram transformadas em igreja e um minarete em torre sineira; na Macedônia, três mesquitas, dois santuários e duas torres de relógio em igrejas; na Sérvia, 15 mesquitas e dois santuários em igrejas; na Geórgia e no Azerbaijão, uma mesquita de cada foi convertida em igrejas durante a invasão russa; três mesquitas na Bósnia e Herzegovina foram transformadas em igrejas durante a invasão austríaca.”

Mesquita Ali Pasha em  Sigetvar na Hungria, convertida em Igreja.

Yilmaz disse ainda: “Três mesquitas na Argélia foram transformadas em igrejas durante a invasão francesa, e duas mesquitas na Armênia. No sul do Chipre, uma fonte, na Moldávia quatro mesquitas e na Romênia cinco mesquitas foram transformadas em igrejas”.

“Na Hungria, 23 mesquitas, cinco santuários, uma casa de banho e uma escola foram transformadas em igrejas. No entanto, os húngaros são o único povo da Europa que não converteu nenhum edifício turco em igreja. Toda a conversão de mesquitas em igrejas no país foi feita durante a invasão austríaca, ” ele adicionou.

A Grécia se destaca

Yilmaz disse que a Grécia tem a maior quantidade de construções turcas “ainda em uso” e acrescentou que o país converteu 76 mesquitas, 19 santuários e um minarete em igrejas.

Além disso, a Grécia também converteu cinco minaretes em torres sineiras, transformando 101 obras arquitetônicas.

Mesquita Ibrahim Pasha em  Rhodes, convertida em igreja.

Yilmaz disse que as obras arquitetônicas turcas foram convertidas por razões políticas e espaciais e acrescentou: “Grandes edifícios monumentais turcos e especialmente minaretes nos centros da cidade são vistos como o primeiro alvo a ser destruído devido ao seu simbolismo de domínio turco e do Islã. É profundamente triste que em apenas uma noite em Sofia em 1878, sete minaretes foram destruídos com dinamites.”

“Mesquitas são os edifícios mais convertidos em igrejas. Eu identifiquei 272 mesquitas e locais de oração. Além das mesquitas, 36 mosteiros e santuários foram transformados em igrejas. Existem torres de relógio transformadas em campanários e minaretes nos quais os sinos foram acrescentados.”

”Uma torre na Croácia, um reservatório de uma fonte no sul de Chipre, uma área de oração na Grécia foi convertida em áreas de culto ortodoxo,” acrescentou Yilmaz.

“Uma igreja foi construída dentro de um caravançará na Sérvia. Portanto, não são apenas mesquitas, mas também mosteiros, santuários, minaretes, torres, casas de banho, fontes e hospedarias sufis pertencentes à arquitetura turca que se transformaram em igrejas”, disse.

Destruição

Yilmaz observou que componentes como cúpulas e arcos refletindo a arquitetura turca foram propositadamente destruídos e a arquitetura desses edifícios alterada.

“No entanto, não importa o quanto eles alterem as paredes principais, as estruturas internas continuam direcionadas à Meca e não podem ser alteradas, permitindo assim identificar as mesquitas convertidas. Consegui identificar a Mesquita Mustafa Pasha em Budapeste desta maneira “, disse ele.

Mesquita Yildirim Beyazid, convertida em igreja.

Yilmaz enfatizou que não existe outra nação que respeite mais as obras arquitetônicas do que a nação turca e disse: “Os turcos nunca desprezaram civilizações antigas e é por isso que nunca intervimos nos componentes arquitetônicos das obras que se transformaram em mesquitas. O melhor exemplo disso é a Mesquita Hagia Sophia. “

“Nós a adoramos [Hagia Sophia] desde 1453, sem interferir nas características da igreja. Nós apenas adicionamos mihrab (indicador de direção), minbar [púlpito de madeira] e minarete. Quando você olha de fora, pode entender facilmente que foi uma igreja um dia … No entanto, as características arquitetônicas das mesquitas que os europeus transformaram em igrejas foram completamente alteradas. “

Ele afirmou que seu objetivo nesta pesquisa de arquivo era registrar os trabalhos turcos com documentos.

Yilmaz, que pesquisa obras de arquitetura turca há quase 20 anos, esteve envolvido em muitos projetos de restauração em casa e no exterior.

Ele é o fundador da Turkish Architectural Research Center, e um livro resultado de sua pesquisa entre 2010 e 2020, Turkish Works Converted Into Churches, será publicado em breve.

Fonte:

https://is.gd/uCIWnN

https://is.gd/mF8FHy

Equipe História Islâmica

O História Islâmica é uma iniciativa com mais de meia década de existência, que visa preencher uma importante lacuna no conhecimento popular: a consciência do legado muçulmano. Sendo a maior página de seu gênero em língua portuguesa, buscamos sempre nos atualizar em pesquisas para trazer um conteúdo de qualidade ao nosso público.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar